MENINA DE 9 ANOS MORRE À ESPERA DE INTERNAÇÃO

0
494

Uma menina de 9 anos morreu na madrugada de ontem (13/03) na UPA Bela Vista enquanto aguardava liberação de vaga de internação hospitalar. A principal suspeita é de que Ana Júlia Alves Antonio tenha contraído dengue.

O óbito foi confirmado à 1h35. Segundo Secretaria Municipal de Saúde de Bauru, a paciente deu entrada na UPA pouco antes das 23h do último sábado (11/03) e recebeu todos os cuidados médicos possíveis. A vaga de UTI só foi liberada pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), do governo do Estado, às 4h30 desta segunda na Santa Casa de Jaú, ou seja, 3 horas depois de a criança não resistir à espera.

A pasta acrescentou que aguarda a divulgação do resultado dos exames pelo Instituto Adolfo Lutz para a confirmação da causa da morte. Já a Secretaria de Estado da Saúde, por meio de nota, disse que “se solidariza com a família da paciente” e reiterou que a Cross fez a regulação “às 4h27 desta segunda-feira para a Santa Casa de Jaú”.

Pai de Ana Júlia, o comerciante Saulo Carlos Antonio de 34 anos relata que a menina começou a ter febre e dor de cabeça na última terça-feira (07/03), quando foi medicada na UPA Bela Vista, tendo retornado no dia seguinte para fazer exame de detecção de dengue. Segundo o pai, os sintomas foram controlados por meio de medicação, mas no sábado (11/03) a temperatura corporal da filha chegou a 38 graus e não cedeu.

“Levamos de novo na UPA. Eles medicaram, a febre baixou, mas ela estava desidratando e, com pressão baixa, acabou desmaiando. Então, a colocaram no soro e disseram que ela teria que ficar em observação”, relembra.

PEDIDO DE VAGA

Saulo conta que o pedido de vaga de internação em enfermaria foi feito pela unidade na tarde de domingo (12/03), porém, o quadro de saúde de Ana Júlia, que tinha bronquite asmática, piorou e o leito de UTI foi solicitado por volta das 18h30. Em seguida, a equipe médica informou aos pais que ela teria de ser intubada.

“Pelo que nos disseram, tentaram intubar três vezes e não conseguiram. E ela ficou pedindo socorro para minha esposa: ‘mãe, me ajuda a respirar’. Perdi minha filha por total falta de suporte”, lamenta ele, que ainda irá avaliar, junto com a esposa, a possibilidade de recorrer à Justiça.

De acordo com o comerciante, Ana Júlia era uma criança agitada e alegre. Ela morava com os pais e o irmão de 2 anos no Parque Santa Edwirges e estava no terceiro ano do ensino fundamental em uma escola estadual.

Na sessão legislativa de ontem (13/03), o vereador Júnior Lokadora manifestou pesar pela morte da menina. “Ficam aqui meus sentimentos a todos os familiares. Conheço o Saulo. Tenho uma menina com a mesma idade e ouvir de um amigo que ele perdeu sua filha é muito triste. Não consigo imaginar o tamanho desta dor”, lamentou. O corpo de Ana Júlia foi velado na Funerária São Vicente e sepultado no Cemitério Parque Jardim dos Lírios.

Via JCNET.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui