MORREU NO TENDA ATACADO: Laudo aponta que poste junto a grade que corredora encostou e sofreu descarga elétrica estava energizado

0
451
Vítima de 40 anos morreu após sofrer o choque no estacionamento de supermercado em Bauru (SP). De acordo com o documento pericial, poste esta com ligações elétricas em desacordo com as normas de segurança.
O laudo da perícia feito no local onde a corredora Elaine Domingues morreu ao sofrer uma descarga elétrica apontou que o poste que ficava próximo do alambrado onde a vítima encostou estava energizado. O caso aconteceu no dia 20 de setembro no estacionamento de um supermercado que fica na Avenida Nuno de Assis, em Bauru (SP). Ainda de acordo com o documento, que o g1 teve acesso, o poste de iluminação estava em desacordo com as normas de segurança, que pode ter causado o choque. No poste, as instalações elétricas estavam desorganizadas e com identificações precárias, o que colaborou para energizar o terminal de aterramento. Ainda segundo o laudo, isso foi suficiente para provocar a energização permanente de toda a carcaça do poste com tensões e correntes elétricas suficientes para causar eletroplessão (morte causada por exposição a cargas de energia elétrica) em pessoas. Elaine Regina Domingues Santos tinha 40 anos e fazia uma corrida dentro do estacionamento do Tenda Atacado com o marido, Kleber Santos, quando os dois pararam para descansar. Segundo Kleber, ela parou e encostou na cerca do estabelecimento, que estaria eletrizada. Elaine ficou desacordada e chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Em postagem em uma rede social na noite deste sábado (22), Kleber se pronunciou sobre o caso. “Não foi um acidente, pois, na minha concepção, acidente é quando tomamos todos os cuidados, e medidas necessárias para algo não acontecer e ainda assim de forma fortuita , ocorre. Agora, quando, há negligência, imprudência, imperiência, descaso, ai o nome disso já passa a ser outra coisa”, escreveu. Na quinta-feira (20), o marido da vítima prestou depoimento pela primeira vez no inquérito que investiga a morte da esposa. Ao g1, ele disse que foram feitas perguntas sobre o dia do ocorrido, em 20 de setembro. O delegado responsável pelo caso, Marcelo Malinverne, disse que ainda aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML), que avalia a causa da morte em si. O Tenda Atacado informou que “ainda não teve acesso ao laudo de perícia oficial”. No pronunciamento, a rede de supermercado disse que “contrata empresas especializadas que fazem revisões periódicas de suas instalações”, sendo que, “na unidade em questão, uma empresa especializada terceirizada foi contratada e revisou todas as instalações elétricas da loja. O Laudo Técnico foi emitido no mês de setembro de 2021 e está à disposição das autoridades”. No fim do comunicado, a empresa afirma ainda que “segue consternada com a fatalidade ocorrida no estacionamento da unidade de Bauru e se solidariza com a dor da família”.
“Morreu nos meus braços”
O casal, que estava junto havia 22 anos, é natural de Dois Córregos (SP) e tem um filho de 18 anos. Segundo o Kleber, eles praticavam esportes constantemente, inclusive a corrida. “Eu estava com ela, tenho a lembrança viva na minha memória, é uma coisa que jamais vou esquecer. Ela morreu nos meus braços. A cena fica se repetindo na minha cabeça. É uma sensação horrível”, lamenta. “A corrida entrou na nossa vida em 2017, porque era um momento em que estávamos preocupados com a saúde. A gente entrou em uma academia de treino funcional, onde o professor que praticava corrida nos apresentou para uma equipe, e nos apaixonamos de vez pelo esporte”, relembra. Kleber contou que, por ser próximo de onde moravam, eles passavam pelo local onde aconteceu o incidente com frequência para treinar corrida. Inclusive, um dos sonhos do casal, segundo ele, era correr uma maratona completa de 42 quilômetros. “O nosso maior sonho era ver o filho encaminhado, se formando na faculdade, com a profissão definida. Além disso, toda corrida que a gente praticava guardávamos o número do peito para montar um mosaico em um quarto.”
RELEMBRE O CASO:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui