Jogador acusado de matar treinador de futebol com golpes de barra de ferro é condenado em júri popular

0
34

Crime aconteceu em janeiro do ano passado. Anderson Rodrigues da Silva, de 20 anos, foi condenado a quase 18 anos de prisão. Ele morava no alojamento coordenado pelo treinador Fernando José Teodoro, que tinha 51 anos.
A Justiça condenou a quase 18 anos de prisão em regime fechado o jovem de 20 anos acusado de matar com golpes de barra de ferro o treinador de futebol Fernando José Teodoro em Guaimbê (SP). O crime aconteceu em janeiro do ano passado no alojamento que era coordenado pelo treinador na cidade e a condenação aconteceu em júri popular realizado na última quinta-feira (30) no Fórum de Getulina. Anderson Rodrigues da Silva matou o treinador, que era servidor público de Lins e conhecido na região como Fernandão, com pelo menos 14 golpes na cabeça enquanto a vítima dormia no dia 8 de janeiro de 2020. Anderson era jogador de futebol e vivia no alojamento. Segundo o réu alegou à época, a vítima teria passado a mão em sua perna e falado mal de sua mãe. Ele e outros dois jovens, de 18 e 16 anos, foram presos no dia seguinte, dia 9 de janeiro por envolvimento no crime. Os dois jovens teriam sido obrigados por Anderson a ajuda-lo a limpar o alojamento e esconder o corpo de Fernando, que foi encontrado em uma estrada vicinal que liga Guaimbê a Júlio Mesquita. O menor de idade respondeu na Vara da Infância e Juventude por ocultação de cadáver, mas foi absolvido. Já o jovem de 18 anos não foi julgado porque ficou comprovado que ele foi obrigado pelo réu a participar da ocultação do cadáver. No julgamento de Anderson, os jurados reconheceram a prática do homicídio qualificado pelo motivo fútil, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima. O réu também foi condenado pelo crime de ocultação de cadáver.

Foto: J. Serafim/Divulgação
Texto: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui